domingo, 6 de setembro de 2009

Dei uma entrevista

A entrevista de estreia do blog Mulheres Modernas é comigo.
Tá aqui.


E aqui:

Qual a definição de mulher moderna pra você?
A mulher procurou trabalhar, mostrar que tem os mesmos direitos e capacidades que o homem, que pode acumular diversas funções (esposa, mãe, trabalhadora) e hoje acho que ela está cansada e sobrecarregada. Muitas mulheres viram que isso não foi tão legal e estão fazendo o caminho inverso.
Acho que a mulher moderna pode e deve equilibrar suas funções e tudo o que ela pode ser, a cada momento de sua vida. E procurando não trazer nas costas aquela famosa culpa que nós sempre carregamos por nossas escolhas. Tem a fase de estudar, a fase de ser ótima profissional, a fase de se dedicar aos filhos. Acho que uma palavra interessante para nos definir é POSSIBILIDADE. A mulher pode escolher ser “apenas” mãe e dona-de-casa. Também pode escolher ter um trabalho flexível que permita dedicar mais tempo ao marido e aos filhos. Ela também pode escolher não casar ou não ter filhos. Existem muitas possibilidades, a mulher moderna tem a oportunidade de fazer escolhas que a realizem.

Em que/quem você se inspira pra se vestir?
Não me inspiro especificamente em ninguém. Gosto de ver desfiles, lookbooks, sites de moda, catálogos, vitrines, revistas... pessoas! Isso que me inspira, me dá idéias, vejo o que eu gosto, o que funciona em mim.

Qual sua marca preferida de roupa/maquiagem?
Também não tenho uma única marca preferida. Tenho marcas que gosto bastante, acompanho as coleções, sempre tem coisas que me agradam e outras que nunca usaria. Tenho também marcas que são objetos de desejo (hehehe), aquelas que a gente pensa “ainda vou ter pelo menos uma peça”! E tem também as inacessíveis, que a gente só fica namorando e usando como inspiração. Além disso, depende da minha fase. Digamos que hoje, numa ida básica ao shopping, as lojas que eu sempre entro pra “dar uma olhadinha” são: MoB, Canal, Animale, Lucy in the Sky, Calvin Klein, Collins, Zara e Colcci.
Olha só, estava esquecendo da maquiagem! Eu ainda não sou expert em make e também não invisto muito nisso. Adorei e estou usando um kit perfeito que minha amiga Béu me deu, de uma marca chamada Rimmel, eu não conhecia e não sei se tem aqui no Brasil.

Como você consegue conciliar Duca, Naomi, Casa, Deus e ter tempo pra você?
Olha, digamos que está “tudo junto e misturado”. Desde que a Naomi nasceu a dedicação é total a ela, mas sempre procurando não deixar as outras coisas de lado. Eu imaginava que, quando chegasse a minha hora de ser mãe, continuaria trabalhando até o nono mês, ficaria o tempo da licença-maternidade com o bebê e logo voltaria a trabalhar. Mas não foi como eu imaginava e hoje vejo que foi muito bom! Passei a gravidez toda e o primeiro ano da Naomi sem trabalhar. Não foi uma escolha, mas as circunstâncias levaram a isso. E podendo acompanhar cada fase do desenvolvimento dela, penso que toda mulher deveria ter a oportunidade de, pelo menos no primeiro ano, SÓ cuidar do seu bebê. Mas claaaaarooo, sem esquecer do seu marido! A Naomi e eu adoramos e sempre que podemos acompanhamos o Duca no seu trabalho. Também gostamos muito de passear todos juntos. Bom, o que eu menos dou atenção é para a casa, mas estou me esforçando para melhorar nessa área, hehehe. E Deus... não tem como separar Deus das outras coisas, Ele é o óculos através do qual eu vejo minha relação com meu marido, nossa filha, comigo mesma. E quando se tem um filho, a gente passa a entender de forma muito mais clara o amor de Deus, a gente passa a enxergar melhor as outras pessoas.
Mas você perguntou de tempo, né? Dizem que quando a gente não faz nada, não tem tempo pra nada. Eu já passei por isso e ainda passo de vez em quando! Então estou procurando fazer muitas coisas pra ter tempo de fazer mais! Agora que a Naomi completou um ano, quero voltar a trabalhar, estudar, aprender, produzir. Já estou pensando se vou conseguir deixá-la numa escolinha, ai ai! Não estou com pressa, mas este ano será de mudanças! Quero continuar sendo uma mãe muito presente, mas quero aos poucos ir dedicando mais tempo ao aprendizado e ao trabalho.

Nas fotos, percebo que a Naomi já é uma mocinha muito fashion! Quais 'filtros' você usa pra vestí-la moderninha e sem exagerar?
Olha, desde que ela nasceu, passei muito tempo sem comprar nada pra mim, só queria comprar coisas pra ela. Hoje eu ainda a coloco antes de mim, mas estou me dando um pouco mais de atenção! Eu acho a Naomi super fashion! Hehe. Gosto de “mini-roupinhas”, versões baby de roupas que eu uso ou usaria. Não gosto de roupas cheias de bordados ou desenhos, acho que fica feio. Eu procuro bastante e sempre encontro peças muito legais. Alguns acessórios que uso nela e dão muito charme são os lencinhos e as boinas. Acho as roupas baby da Zara perfeitas, a Naomi ama! A Renner tem coisas ótimas, peças básicas, boas e baratas. A Naomi tem uma calça jeans skinny perfeita que é da Renner. Uma dica legal é que a Lupo tem meias-calças para bebês de cores ótimas, como preto, por exemplo!
Eu achava que bebê perdesse roupa muito rápido, mas não é tanto assim. O que mais perde são os bodys e macacões nos primeiros meses, então a dica é comprar macacões e calças sem pé. Depois o bebê não cresce tão rápido e as roupas duram mais. A Naomi tem vestidos que usa desde o primeiro mês e servem até agora. Vestidos, saias e shortinhos duram muito. Eu comprava as peças um pouco maiores e vi que não é legal. O ideal é comprar só um pouquinho maior, mas num tamanho que já dê para usar e não fique feio, largão. Se comprar o tamanho muito maior, pra durar mais, quando a roupa estiver no tamanho ideal ela já estará velhinha, talvez até manchada.


Muitos dizem que ''mãe deve se vestir como mãe''. Você acha que depois de ser mãe, a mulher deve mudar seu jeito de se vestir?
Acho que isso não é uma decisão, vai acontecendo automaticamente. Eu fui mudando meu estilo, não apenas por me tornar mãe, mas antes já vinha mudando. É aceitável adolescente se vestir de uma maneira, mulher jovem de outra forma, mulher jovem e casada já se veste um pouco diferente. Acho que o look tem que estar de acordo com o que a gente é, com a nossa idade e com a ocasião. E agora, sendo mãe, tenho que tomar certos cuidados. Dificilmente dá pra usar vestido ou saia sem meia-calça ou legging ou mesmo um shortinho por baixo, pra evitar acidentes se eu abaixar, por exemplo.

Você concorda que 'fashionismo' não foi feito pra nós, Cristãs?
Por que não? Eu acho que a gente pode acompanhar as tendências, mas sempre procurando o que “funciona”, o que nos valoriza e tem a ver com nosso estilo. Acho que podemos ficar bonitas sem precisar expor nosso corpo de forma feia, vulgar. Nunca usei decote, não gosto, não consigo. Algumas roupas são lindas, mas têm decotão, aí vejo se dá pra usar com uma blusinha por baixo. Uma coisa que morro de medo e acho horrível quando vejo é “cofrinho” de mulher. Eu experimento a calça, abaixo, vejo se a calcinha não vai aparecer e tal. Quero estar bonita, me sentir bonita e quero que as pessoas também achem, mas bonita de forma respeitosa.

Pra você, qual o look coringa, aquele que em qualquer lugar funciona?
A gente tem que se vestir de acordo com o nosso estilo, tipo físico e ocasião. Uma peça que funciona em diferentes ocasiões é o vestido. Eu emagreci mais do que achava que iria, aí dei todas as minhas calças de magrinha. Agora as que sobraram estão largas, então o que mais estou usando são os vestidinhos! Hehe.

Você segue tendências do mundo da moda dando seu toque à eles, segue as tendências fielmente ou prefere seguir a sua tendência?
Escolho do que é tendência o que tem a ver comigo e fica bem em mim. Mas também não acho legal usar “uniforme”, aí posso acabar deixando de usar algo se todo-mundo-está-usando. E também procuro comprar peças que durem bem mais do que uma única estação ou coleção.

Pra terminar, o que você acha indispensável em uma Mulher Moderna?
Sabedoria. E elegância. No vestir e no agir.

8 comentários:

Flah disse...

muito legal a entrevista,parabens,concordo com tudo em genero,numero e grau rsss.bjuss

Giovanna Borgh disse...

entrevistou a pessoa certa! Teca é moderníssima!!

Eu vou te entrevistar um dia tb...tenho mts perguntas interessantes e edificantes para o pessoal...rs

Estava Perdida no Mar disse...

Vi o seu pedido por livros no Twitter e ñ sei de nenhum...rs...mas te deixei dois recados...sei q funciona vc falar sério com a criança para impor limites...não usar aquela vozinha fofa q usamos qdo estamos perto de bebês ou tati-bi-tati...falar no nosso tom de voz normal...e sério. Funciona tb vc ficar na altura dela...como os índios fazem...sem q ela esteja no chão e vc falando do alto. Colocar o olhar na linha do olhar dela. E não usar coisas do tipo: "menina feia"...ou "é feio fazer isso"...isso acaba com a auto-estima da criança...rs.
Bem, foram estas coisas q aprendi cuidando de 4 sobrinhos. Deu certo, mas exige uma paciênciaaaaaa...rs.

Beijos
http://twitter.com/jaqueporto

Quasar disse...

adorei! já q vc é quietinha, foi bom pra eu te conhecer um pouquinho mais!
=)

Mônica Machado de Oliveira disse...

Aaaaaamei tudo, tudo!!!
Um super beijo!

Rbk disse...

Teca!

Muito bacana a entrevista... Parabéns! ;)
Estava aqui pensando..
Você bem que podia compartilhar com agente como foi a fase da gradivez: como ficou sabendo, quando descobriu que era menina,como escolheu o nome, o parto...
Tô curiosa!
Você é tão dedicada a Naomi, que imagino que a gravidez foi um momento mágico e cheio de emoção! :D
Compartilha aí vai! ;)
Beijos

Hermes C. Fernandes disse...

Parabéns pelo belo trabalho no blog. Já estou seguindo.

Aproveito para lhe convidar a conhecer o meu blog, e se desejar segui-lo, será uma honra.

Seus comentários também serão muito bem-vindos.

www.hermesfernandes.blogspot.com

Abraço fraterno!

Dany morais disse...

ola!menina, achei seu blog do nada... e adorei!!!!
parabens pela filha linda... e sobre seu marido, ja fui em um show da oficina g3 legal..bem legal!!!