terça-feira, 25 de setembro de 2007

O que vem de cima me atinge

O que vem de baixo não me atinge. Engraçado. Mas eu lembrei dessa frase ao aprender esses dias que o que vem de cima me atinge. E se você está em cima pode atingir os outros.

Pelo menos, quando se mora em apartamento, como eu.

Recentemente descobri que o apartamento onde moro está com problemas de encanamento. Na verdade, eu não descobri. Foi a vizinha de baixo que me alertou, já um pouco furiosa. O problema no 31 estava prejudicando o 21, provocando vazamentos e estragando seus armários. Só então fui saber que o 21 e o 41, entre outros, tinham passado pelo mesmo problema. E o 31 já tinha apresentado problemas anteriores, antes da gente mudar para cá.

Em busca de um encanador confiável, passei a ter um pequeno contato com meus vizinhos de baixo e de cima, que até então eu possivelmente só havia cumprimentado no elevador. Numa dessas conversas, a vizinha do 21 contou que também aprendeu na prática que os problemas nos prédios vêm de cima, pena que ela comprou o apartamento no segundo andar e aprendeu isso um pouco tarde. E eu que pensava que o inconveniente dos andares baixos era apenas o barulho!

A vizinha contou que um morador da cobertura resolveu certa vez plantar uma árvore. Na cobertura. A árvore foi crescendo, suas raízes também... foram crescendo pelos canos! Por isso, por favor, nada de árvores na cobertura!

Nós moramos no terceiro andar. O prédio tem muitas árvores (plantadas no solo!) e a copa de uma delas é bem na frente da sacada do nosso quarto. Eu acho muito legal, pois os galhos “escondem” a sacada, impedindo que alguém no prédio da frente veja o quarto. O Leo também gosta muito, ele fica atento aos pássaros, toma sol e descansa preguiçoso. Mas se um dia nós formos comprar um apartamento, vai ter que ser da metade para cima. Pelo menos diminui a probabilidade de problemas.

Ah, sim, o vazamento. Chamei dois encanadores indicados. Os dois me deram o cano na primeira vez. Nem ligaram nem nada! Na segunda, o primeiro veio, avaliou e tal. Amanhã é a segunda tentativa com o segundo encanador chamado. Vamos ver se dessa vez ele vem.

Bom, estou escrevendo tudo isso na verdade para dizer que até pouco tempo atrás eu não tinha que resolver coisas desse tipo. Meu pai sempre me pareceu tão preparado para essas decisões domésticas! Mas e eu? Eu não me sinto nem um pouco preparada. Aí eu espero que o meu marido, homem, saiba resolver com desenvoltura todo tipo de inconveniente. Ele também não sabe... Depois que a gente vira “gente grande”, tem que continuar crescendo...

Será que vamos conseguir aprender? Será que nossos filhos vão achar que sabemos?

Pelo menos aprendemos algumas coisas e ficam aqui as dicas:

- ao alugar ou comprar um apartamento, prefira os do alto;

- antes de fechar negócio, pergunte aos vizinhos sobre problemas anteriores ocorridos no prédio;

- muito cuidado com o local onde você resolve plantar uma árvore;

- você pode estar atingindo, sem saber, quem está embaixo.


Estávamos reavaliando se seria melhor adquirir um apartamento por aqui, perto de tudo. Agora acho que vamos mesmo é continuar com o projeto da casa. Esse negócio de viver em comunidade não é fácil.

E finalmente eu entendi aquela propaganda (mas continuo achando horrível) da mulher que quebra a parede do prédio, confere a qualidade do produto e só então diz para o marido “pode fechar”.


8 comentários:

Iana Coimbra disse...

Adorei a reflexão! E de quebra ainda aprendi a olhar um apartamento! rs. O mais legal é que nessa fase de "pensar em se tornar dona de uma casa", leia-se "casar", imagino como é lidar com todas essas questões de cuidar de um ap. A medida que eu cresço vejo o quanto meus pais são maiores ainda...

É isso.

Beijos!

Bell M. disse...

boa Tequinha...
sabe que eu me perguntei, essa coisa dos filhos acharem os pais o máximo, esses dias depois que minha mamy foi pro céu.
ela sabia resolver tudo, sempre tinha respostas e sabia tomar a decisão sem pestanejar, como pode né? ou eles realmente sabem, ou eles sabem é disfarçar! se eu souber um dos dois já tá bom :)

E a gente aprende as coisas por causa da necessidade. Não diz o ditado que a necessidade é mãe da criatividade? Pois então. Quando eu me mudei tinha infiltração do chuveiro do meu banheiro que mofava meu armário. Adivinha quem passou rejunte no banheiro todo? Euzinha! Meu pai sempre fez tudo em casa e acho que aprendi um pouco com ele. Se quiser te dou umas dicas!! hehe

bjo

... aquela disse...

Estava lendo e pensando: "nossa, agora a Tequinha tem que pensar nisso!", e ri qdo vc cita isso no texto. E que texto bom de ler!
Nesses dias de nova vida tenho lido vários blogs... hj, em especial, dediquei parte do meu dia a isso, e aqui estou eu, achando divertido e leve esse teu.

Ah, e já sofremos com o mesmo problema. O 403 reclamou...

bjs e Deus os abençoe aí ;)

Estava Perdida no Mar disse...

Fiquei pensando na parte de saber se virar sem os pais e no seu caso sem o marido, às vezes.
Em relação a apartamento...casa não é tão diferente assim. Opinião de quem sempre morou em casa. É necessário tb viver em comunidade e de certa forma as regras do condomínio limitam um pouco o abuso dos vizinhos. Coisa que não acontece com quem mora em casa. A não ser que vc escolha uma vila ou condomínio fechado. E eu ainda fico pensando se quero mesmo ir morar sozinha...

Ana Paula disse...

Ai Ester!
Estou fascinada com seu jeito de escrever, você tem perfil de jornalista literária.... Eu logo vi que seu estilo não é o ( Feijão com arroz) assim como eu,gosta de escrever coisas mais marcantes e que estejam mais próximas do cotidiano das pessoas.
Parabéns!!!!

EssênciALL disse...

Oiiê!

Tava lendo os posts anteriores... esse aqui seria engraçadíssimo... senão fosse trágico.

Mto bom!

bjos

Cah Higuchi disse...

e eu que entrei aqui hj achando que fosse a primeira... at[e parece!!! nao sabia que tinha este cantinho tao gostoso de ler.


by the way, gostei do que li e acho que ter morado sozinha me fez ver o quanto eu tenho que apredner, e depois de um cursinho de tres anos ainda nao sei resolver mitas coisas, ms agora Deus me deu um homem pra aliviar minha bagagem.

XXXX

Anônimo disse...

ler todo o blog, muito bom