sexta-feira, 24 de abril de 2009

Estrias

Acabei de ler um post sobre estrias na gravidez que minha amiga Babi twittou.

Acho que um dos maiores medos das recém-descobertas futuras mamães são as indesejadas e odiadas estrias.

Uma amiga me deu a dica: os cremes para gestantes da Palmer´s Cocoa Butter - ela usou, minha outra amiga usou, uma outra minha conhecida usou - e nenhuma delas ganhou estrias durante a gestação. Nem eu, ufa!

Quando eu pensei em começar a tentar engravidar, já encomendei. Ainda bem, porque os cremes chegaram e logo em seguida engravidei. Mas eu só comecei a usar quando a barriga começou a aparecer, antes disso eu só passava outros creminhos normais, depois do banho, com a pele ainda úmida.

Sempre tive muita preguiça de ficar passando creme, mas durante o período crítico, pelo menos quando já estava cheinha, tive que vencer a preguiça. Aí passava o creme da Palmer´s várias vezes ao dia e sempre que sentia aquela esticada, aquela coceira.

Não, eu não ganhei nenhuma estria nova, nem na barriga, nem nos seios, nem no quadril, nada, graças a Deus! E graças ao santo creminho e à santa águinha que tem que tomar muuuito. Mas sim, eu já tinha estrias no quadril, que ganhei durante o estica da adolescência. No post que citei, a autora fala que é só não tomar sol que some. Dessa eu não sabia, então fica a dica. Se funciona ou não, não custa tentar!

Outra coisa, uma GO me disse que óleo de amêndoas não é legal durante a gravidez, porque ele só hidrata superficialmente. Quando a barriga começa mesmo a esticar, a pele não resiste. Falem com o dermatologista sobre isso.

Ah, os meus cremes queridos não são vendidos aqui no Brasil (pelo menos não achei em lugar nenhum), mas são super baratos nos EUA, vale muito a pena pedir para um conhecido trazer ou mandar uma encomenda.

No final da gestação, com quase 16 Kg a mais, minha barriga enorme começou a coçar muito e eu não conseguia não coçar. Passava creme e mesmo assim coçava. Aí ela ficou cheinha de bolinhas, como se fossem um monte, mas um montão de cravinhos. Meu GO disse para passar pasta d´água para aliviar a coceira e funcionou, a infestação de bolinhas sumiu.


Três dias antes da Naomi nascer

É isso. Tem que cuidar da melhor forma possível e torcer pras estrias não aparecerem! Mas se aparecerem... dizem que o sentimento pelo filho é algo tão poderoso que "as estrias se tornarão medalhas de honra".

Aliás, lembrando desta citação, vou deixar o texto todo. Garanto que as estrias serão nada perto disso: ser mãe.

"Nós estamos sentadas almoçando quando minha filha casualmente menciona que ela e seu marido estão pensando em 'começar uma família'.
'Nós estamos fazendo uma pesquisa', ela diz, meio de brincadeira. 'Você acha que eu deveria ter um bebê?'
'Vai mudar a sua vida,' eu digo, cuidadosamente mantendo meu tom neutro.
'Eu sei,' ela diz, 'nada de dormir até tarde nos finais de semana, nada de férias espontâneas.. .'
Mas não foi nada disso que eu quis dizer. Eu olho para a minha filha, tentando decidir o que dizer a ela. Eu quero que ela saiba o que ela nunca vai aprender no curso de casais grávidos. Eu quero lhe dizer que as feridas físicas de dar à luz irão se curar, mas que tornar-se mãe deixará uma ferida emocional tão exposta que ela estará para sempre vulnerável.
Eu penso em alertá-la que ela nunca mais vai ler um jornal sem se perguntar: 'E se tivesse sido o MEU filho?' Que cada acidente de avião, cada incêndio irá lhe assombrar. Que quando ela vir fotos de crianças morrendo de fome, ela se perguntará se algo poderia ser pior do que ver seu filho morrer.
Olho para suas unhas com a manicure impecável, seu terno estiloso e penso que não importa o quão sofisticada ela seja, tornar-se mãe irá reduzí-la ao nível primitivo da ursa que protege seu filhote. Que um grito urgente de 'Mãe!' fará com que ela derrube um suflê na sua melhor louça sem hesitar nem por um instante.
Eu sinto que deveria avisá-la que não importa quantos anos ela investiu em sua carreira, ela será arrancada dos trilhos profissionais pela maternidade. Ela pode conseguir uma escolinha, mas um belo dia ela entrará numa importante reunião de negócios e pensará no cheiro do seu bebê.
Ela vai ter que usar cada milímetro de sua disciplina para evitar sair correndo para casa, apenas para ter certeza de que o seu bebê está bem.
Eu quero que a minha filha saiba que decisões do dia a dia não mais serão rotina. Que a decisão de um menino de 5 anos de ir ao banheiro masculino ao invés do feminino no McDonald's se tornará um enorme dilema. Que ali mesmo, em meio às bandejas barulhentas e crianças gritando, questões de independência e gênero serão pensadas contra a possibilidade de que um molestador de crianças possa estar observando no banheiro.
Não importa o quão assertiva ela seja no escritório, ela se questionará constantemente como mãe.
Olhando para minha atraente filha, eu quero assegurá-la de que o peso da gravidez ela perderá eventualmente, mas que ela jamais se sentirá a mesma sobre si mesma. Que a vida dela, hoje tão importante, será de menor valor quando ela tiver um filho. Que ela a daria num segundo para salvar sua cria, mas que ela também começará a desejar por mais anos de vida - não para realizar seus próprios sonhos, mas para ver seus filhos realizarem os deles.

Eu quero que ela saiba que a cicatriz de uma cesárea ou estrias se tornarão medalhas de honra.

O relacionamento de minha filha com seu marido irá mudar, mas não da forma como ela pensa. Eu queria que ela entendesse o quanto mais se pode amar um homem que tem cuidado ao passar pomadinhas num bebê ou que nunca hesita em brincar com seu filho. Eu acho que ela deveria saber que ela se apaixonará por ele novamente por razões que hoje ela acharia nada românticas.

Eu gostaria que minha filha pudesse perceber a conexão que ela sentirá com as mulheres que através da história tentaram acabar com as guerras, o preconceito e com os motoristas bêbados.

Eu espero que ela possa entender porque eu posso pensar racionalmente sobre a maioria das coisas, mas que eu me torno temporariamente insana quando eu discuto a ameaça da guerra nuclear para o futuro de meus filhos.

Eu quero descrever para minha filha a enorme emoção de ver seu filho aprender a andar de bicicleta. Eu quero mostrar a ela a gargalhada gostosa de um bebê que está tocando o pelo macio de um cachorro ou gato pela primeira vez. Eu quero que ela prove a alegria que é tão real que chega a doer. O olhar de estranheza da minha filha me faz perceber que tenho lágrimas nos olhos.

'Você jamais se arrependerá', digo finalmente.

Então estico minha mão sobre a mesa, aperto a mão da minha filha e faço uma prece silenciosa por ela, e por mim, e por todas as mulheres meramente mortais que encontraram em seu caminho este que é o mais maravilhoso dos chamados. Este presente abençoado de Deus...

que é ser Mãe."


(Autor desconhecido)

14 comentários:

Lilian Amorim disse...

Oi Teca.
Que bom que não teve estrias durante a gravidez...
Este creme que indicou, será que vende em algum free shop ou tem em algum site que possa encomendar?
Estou quase comprando o Gerare...só estou tomando coragem pq achei muito caro e não sei se ele é tão bom assim. Pelo preço deve ser...rsrsrs

Lindo o texto. Quanta coisa muda na vida de uma mulher depois de se tornar mãe...

Beijos em vc e na Naomi :)
Bom final de semana.

Babi disse...

Oi Tequinha!

Bem legal você ter postado, fico feliz por ter te inspirado. Aliás, vou passar a dica para o pessoal que eu conheço, assim ajudamos mais pessoas (e eu já fico esperta também, hehe). :)

Beijos

... disse...

Hummm... Eu ganhei estrias na gravidez. Na barriga, nas pernas...
Feinho é, mas como vc escreveu para uma mãe elas se tornam medalhas de honra.

Flah disse...

muito bonito o texto e muito real,até as estrias :) passei por isso,tomei alguns cuidados,mas nao era tao esclarecida como hj,enfim...quando puder dou um jeito nisso,por enquanto quero ser mae novamente,aind nao sei quando,mas... ;)

Mônica Machado de Oliveira disse...

Surpresaaaaa: http://monica-tododia.blogspot.com/
Tem que me passr umas dicas vez ou outra de como adicionar os programas... Aos poucos vou indo... hehehe
Amei o que escreveu. Eu não tive estrias em nenhuma das gestações (e olha que nas duas eu fiz um barrigão daqueles). Usei apenas o creme da Natura para evitar estrias e bebia muita água... Mas se tivesse, acho que não "ficaria desesperada", como vejo certas mães, pois acho que faz parte, e depende do organismo de cada uma. Quando a gente vê nossos pequenos cheios de saúde, vê que qualquer coisa, cicatriz (no meu caso das cesáreas), valem a pena!
Um super beijo e até amanhã (olha a nova blogueira cheia de pique... hehehe).

MEL disse...

Teca, super legal você tocar nessa assunto tão tabu.
Acho que todas nós temos estrias, e se não a adquirimos na gravidez, com certeza foi na nossa fase de crescimento.
Eu também tenho estrias no quadril. Essas não dá mais para tratar né, mas vâmo que vâmo que a belezura está aí, pra quem quiser ver e aproveitar!
PS: Naomi tá a coisa mais linda! E você, uma mãe hiper cheia de graça!
Beijões,
MEL

Alê disse...

Pôxa!
Que interessante!
Amei a dica!
Obrigada!
Sabe a média de preço e os locais onde encontrar nos EUA?

carol disse...

é dificil nao ter estrias na gravidez né? bem posso me considerar sortuda pois como nao cresci mto na adolescencia e nem nunca mais.rsrrsrs eu nao ganhei estrias, nem na gravidez do Yuri nem na da Nick...mas depois q a Nick nasceu, uns 10 dias depois foi acontecendo uma coisa muito estranha, foi coçando demais meu quadril e foi querendo aparecer estrias acredita? eu fiquei desesperada..como assim depois da Nicolle ter nascido?? acho q o corpo tava voltando rapido, sei lá...mas ficou um aspecto horrivel, eu até chorei, ficaram uns vergões horriveis bem vermelhos, minha mae nunca viu uma coisa daquela antes...mas continuei passando meu creminho para estrias, esse mesmo q vc tb usou (inda bem q temos maridos viajados...hehe) e acredita q suimiu? rsrs Fiquei super feliz!!!
Acho q ficaria tristinha se tivesse estrias na barriga, agradeço Á Deus pq nao tive!!
Bjinhos

Anônimo disse...

Q lindo o texto! tb sou mãe..... me identifiquei bastante. Acompanho seu blog. Fique com Deus!

Bia Mello disse...

Oi linda,
Imagina se nao amei o texto? :)

Estes cremes da Palmer's sao realmente excelentes.
Ja comecei a usa-los e comprei um pequeno kit, que contem Oleo de banho, hidratante e a pomada para barriga e seios. O oleo nos ajuda a vencer aquela preguicinha de passar o creme (adoro cosmeticos, mas adoraria que tivesse uma pílula deles ao inves de precisar espalhar no corpo todo o tal hidratante...rs). Uso logo apos o banho, com a pele ainda umida, porque absorve super rapido e vc pode vestir-se logo em seguida.

Como meus seios coçam demais (eles ja cresceram mais que a barriga), to reforçando com o hidratante deles tambem. A "Tummy Butter", que é mais espesso, uma pomada mesmo, ainda nao usei, vou esperar a barriga esticar mais.

Bom, quero me oferecer para, caso alguem necessite destes cremes (ou alguma outra coisa daqui dos USA), posso compra-los e envia-los pelo correio. Fiquem a vontade, é so me avisar!

Bjs pra vc e pra gatinha da Naomi!

Bia&Baby Mello

maricotinha disse...

Teca, cheguei pelo blog da Julia on the way. Muito boa a dica do creme, mas melhor ainda é o do óleo de amendoas... Já que vai ter que comprar nos Estates mesmo, acrescento outra dica: Burt's bees. Eu uso um para o pé e outro de lábios que sao incríveis, o da pança deve ser igual de bom.

Gisela disse...

Oi
Encontrei seu blog passeando por ai,vi as fotos da sua filhota é incrível como ela se parece com vc,tal mãe tal filha,lindíssima.
Bj
Gisela

Anônimo disse...

oi amei as dicas,cliquei no link do creminho q c indicou,mas qual deles que é o que vc usou?bjossss

Dra. kátia Ferreira disse...

Hoje saiu a minha reportagem no Blog Hiper Fashion sobre estrias!!!
Segue o link para vocês lerem.
Home http://www.hiperfashion.com.br/home.cfm
Reportagem http://www.hiperfashion.com.br/home.cfm?pagina=noticia&id=1361&jn=1
Abraços, DRa. Kátia Ferreira